Follow by Email

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Duplicação da RJ - 106: Uma obra dos governos Garotinho e Rosinha


Garotinho inaugurou a primeira etapa da duplicação da RJ - 106 e Rosinha, a segunda; Cabral não deu continuidade
Garotinho inaugurou a primeira etapa da duplicação da RJ - 106 e Rosinha, a segunda; Cabral não deu continuidade


O desenvolvimento do estado passa necessariamente pelo investimento na melhoria das condições das rodovias. Quando assumi o governo em 1999, o estado do Rio de Janeiro tinha só 2 mil quilômetros de estradas asfaltadas. Ao final dos dois governos, meu e de Rosinha Garotinho, passamos a ter 3,2 mil quilômetros de estradas asfaltadas, o que corresponde a mais de 90% da malha rodoviária do estado. Isso significa que entre asfaltamento e construção de novas rodovias, foram 1,2 mil quilômetros.

O turismo foi um dos setores que mais se beneficiou com a melhoria das rodovias. A região dos Lagos cresceu economicamente com a duplicação da RJ – 106, que liga Tribobó, em São Gonçalo, até Maricá.


Reprodução do portal G1
Reprodução do portal G1


A obra começou durante o meu governo e foi concluída por Rosinha. Foram 32 quilômetros duplicados com sinalização, acostamento e drenagem. Um investimento da ordem de R$ 70 milhões.

Observem as fotos abaixo e constatem a diferença, antes e depois. Antes da obra, a RJ - 106 não tinha acostamento, era mal sinalizada e estava esburacada, o que representava enorme risco aos motoristas.




Essa duplicação facilitou o acesso à Região dos Lagos, contribuindo diretamente na redução de 80% no número de acidentes.

Uma outra vantagem para os motoristas foi ter uma opção para chegar à Região dos Lagos sem precisar usar a Via Lagos, cujo pedágio é um dos mais caros do mundo. Na RJ – 106 não existe cobrança dos motoristas.


Cabral não duplicou nem um quilômetro



Essa imagem foi tirada de um vídeo tridimensional, cheio de efeitos especiais, que o D.E.R. (Departamento de Estradas de Rodagem) mandou fazer para divulgar o que Cabral prometeu fazer, que seria continuar a duplicação da estrada até Macaé.

Passados mais de 6 anos e meio do seu governo, a duplicação da RJ - 106 parou em Maricá, nem um quilômetro a mais foi feito. Se Cabral tivesse dado continuidade à obra feita por mim e por Rosinha, a duplicação já teria chegado a Araruama.

É bom que as pessoas saibam não apenas o que nós - eu e Rosinha - fizemos, como também o que Cabral prometeu e não fez. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo sua participação e opinião !