Follow by Email

terça-feira, 12 de julho de 2016

Bairros pobres reciclam mais lixo do que ricos em Fortaleza

Moradores do Conjunto Esperança reciclaram 16 vezes mais lixo do que da Varjota, no projeto Recicla Fortaleza
O programa de reciclagem Recicla Fortaleza já caiu no gosto de muitos fortalezenses. Enxergando na reciclagem de resíduos uma oportunidade de ajudar o meio ambiente e também reforçar o bolso, muitas pessoas adotaram o hábito nos últimos tempos. Em dois meses de funcionamento do projeto, um dado surpreende. Dos bairros com Ecopontos para troca de materiais recicláveis por bônus na conta de energia ou no Bilhete Único, os dois primeiros são da periferia.
GOLDEN GLOBE RED CARPET DRESSES
É o que mostra a terceira reportagem da série Lixo é Dinheiro, que o Tribuna do Ceará está publicando nesta semana, sobre as iniciativas cearenses que incentivam a população a reciclar seu lixo em troca de dinheiro ou créditos.
Ranking de Ecopontos
Ao todo, 13 Ecopontos já estão disponíveis na Grande Fortaleza. De acordo com o relatório da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), o Dendê e o Conjunto Esperança lideram o ranking de bairros que mais utilizam o serviço.
Segundo o coordenador especial de Limpeza Urbana, Albert Gradvohl, o ranking mostra que nem sempre as localidades de alto IDH têm pessoas com consciência ecológica. “É impressionante o número de pessoas que passam por esses bairros diariamente”, destaca.
O Dendê arrecadou 20,6 mil kg, seguido do Conjunto Esperança, com 6,2 mil kg, e do Bairro de Fátima, com 6 mil kg. Segundo o especialista, bairros com IDH mais elevados estão entre os últimos. “Esses três primeiros bairros arrecadam muito mais que os bairros considerados nobres. A Varjota, por exemplo, é o último no ranking, com 1.260 kg arrecadados”, destacou.
Estatísticas 
Segundo Albert, em apenas dois meses o projeto já reciclou mais de 70 toneladas de resíduos sólidos. “Hoje, nós temos resultados bem interessantes em relação a reciclagem. Em abril nós conseguimos reciclar quase 17 toneladas, e no segundo mês de funcionamento do projeto foram 54 toneladas de lixo reciclado. Com isso, nós temos em apenas 60 dias mais de 70 toneladas de reciclagem no projeto”.
A frequência de pessoas nos pontos de reciclagem é outro dado surpreendente em tão pouco tempo de projeto. “Nós inauguramos o projeto com 611 pessoas cadastradas. Em 60 dias, nós possuímos quase 1,7 mil cadastros. Mas, além disso, a frequência é o mais impressiona. Das quase 1.700 pessoas cadastradas, 771 frequentam diariamente os postos de coleta. Ou seja, 45% das pessoas registradas no projeto deixam seus resíduos todos os dias”, ressalta.
Em entrevista ao Tribuna do Ceará, o operador ambiental do Ecoponto do Bairro de Fátima, Abinadaby Roseira, informou que o serviço de coleta seletivo arrecada em média 500 kg de resíduos sólidos por dia. “A comunidade aqui adotou a prática reciclável. Tem dias que somente num período arrecadamos quase 70 kg. Isso é bom para o meio ambiente. Mostra a consciência das pessoas”, relatou o profissional.
Cartão é utilizado para troca de bônus (FOTO: Matheus Ribeiro / Tribuna do Ceará)
Tabelação pode variar de acordo com o preço de mercado de cada produto (FOTO: Divulgação)
Disponível em: http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/cotidiano-2/moradores-de-bairros-pobres-reciclam-mais-lixo-do-que-de-ricos-em-fortaleza/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo sua participação e opinião !