Follow by Email

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

PORTARIA Nº 08/2011 - Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos


PORTARIA Nº 08 de 27 de Setembro de 2011.


Estabelece as diretrizes para elaboração e aprovação dos Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos


A SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS PUBLICOS no uso de suas atribuições legais, nos termos da Lei Federal 12.305/2010 e Lei Municipal 8.232/2011, estabelece a seguinte regulamentação:


Considerando o disposto no artigo 20 da Lei Federal n° 12.305 de 02 de agosto de 2010, que versa sobre a elaboração do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS);

Considerando também o disposto no art. 16, parágrafo único da Lei Municipal n° 8.232 de 15 de Junho de 2011, que versa sobre a responsabilidade do gerador dos resíduos pelo gerenciamento dos resíduos;
                       
Artigo 1º - A presente portaria tem como objetivo orientar as empresas na elaboração do PGRS, excetuando-se as empresas do setor da construção civil, cujas diretrizes encontram-se descritas na Portaria n.° 07.
Artigo 2° - As empresas que se enquadrarem no disposto pelos artigos 12 e 13 da Lei Municipal 8.232/2011, que trata dos resíduos e rejeitos domiciliares e equiparados, deverão preencher um termo simplificado de gerenciamento de resíduos, fornecido pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos.
Parágrafo Único – As microempresas e empresas de pequeno porte que se encontram em consonância com os termos do art. 21, § 3º, II da Lei Federal 12.305/2011, devem preencher o termo simplificado de gerenciamento de resíduos sólidos disponibilizado pela Secretaria de Serviços Públicos.
Artigo 3° - A comprovação de que os geradores se enquadram nos termos do artigo anterior, far-se-á mediante apresentação dos seguintes documentos:
a) As empresas que geram resíduos domiciliares ou equiparados deverão apresentar declaração, devidamente assinada pelo seu responsável, discriminando os resíduos gerados;
b) As empresas de pequeno porte ou as microempresas deverão apresentar, também o seu respectivo contrato social.
Artigo 4º - O plano de gerenciamento de resíduos sólidos deverá ser elaborado por profissional ou equipe técnica devidamente habilitada;
Artigo 5º - O plano de gerenciamento de resíduos sólidos elaborado por equipe técnica ou profissional devidamente habilitado deverá trazer um diagnostico da situação atual, apontando como aspectos principais a identificação e a quantificação dos pontos de geração de resíduos, bem como a classificação dos mesmos.
Artigo 6° - O plano de gerenciamento de resíduos sólidos, nos termos do art. 21 da Lei Federal 12.305/2010, terá o seguinte conteúdo mínimo:
I - descrição do empreendimento ou atividade;

II - diagnóstico dos resíduos sólidos gerados ou administrados, contendo a origem, o volume e a caracterização dos resíduos, incluindo os passivos ambientais a eles relacionados;

III - observadas as normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama, do SNVS e do Suasa e, se houver, o plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos:

a) explicitação dos responsáveis por cada etapa do gerenciamento de resíduos sólidos;

b) definição dos procedimentos operacionais relativos às etapas do gerenciamento de resíduos sólidos sob responsabilidade do gerador;

IV - identificação das soluções consorciadas ou compartilhadas com outros geradores;

V - ações preventivas e corretivas a serem executadas em situações de gerenciamento incorreto ou acidentes;

VI - metas e procedimentos relacionados à minimização da geração de resíduos sólidos e, observadas as normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama, do SNVS e do Suasa, à reutilização e reciclagem;

VII - se couber, ações relativas à responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos;

VIII - medidas saneadoras dos passivos ambientais relacionados aos resíduos sólidos;

IX - periodicidade de sua revisão, observado, se couber, o prazo de vigência da respectiva licença de operação a cargo dos órgãos do Sisnama.
Artigo 7° - Além dos requisitos mencionados acima, o plano de gerenciamento de resíduos sólidos deverá apontar também:
I - A identificação do empreendedor, contendo nome, endereço, telefone, documentos pessoais ou da empresa, Alvarás, Licenças Municipais e Estaduais e semelhantes.
II - Descrição sucinta da atividade, com a apresentação do fluxograma, descrevendo os procedimentos desenvolvidos no empreendimento.
Artigo 9° - O plano de gerenciamento de resíduos sólidos deverá prever a forma de segregação dos resíduos, de modo a facilitar sua destinação final;
Artigo 10º - O plano de gerenciamento de resíduos sólidos deverá apontar a destinação ambientalmente adequada dos resíduos sólidos, de acordo com sua classificação e características;
Artigo 11° - O PGRS será submetido à apreciação da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, devidamente assinado por profissional ou equipe responsável por sua elaboração.
Parágrafo único – Não será recebido o PGRS que não estiver acompanhado da cópia dos atos constitutivos da empresa, do comprovante de inscrição municipal.
Artigo 12 - Constatado pelos responsáveis da Secretaria Municipal de Serviços Públicos que o PGRS não atende às orientações constantes da presente Portaria ou que não se fez acompanhar dos documentos pertinentes, será notificado para sanar os vícios ou apresentar os documentos faltantes no prazo máximo de dez dias úteis, sob pena de arquivamento do processo.
Parágrafo único. A notificação referida no caput será entregue no endereço do estabelecimento ou do representante legal da empresa.
Artigo 13 - Após parecer dos responsáveis da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, caberá ao Secretário de Serviços Públicos proferir despacho homologando ou não o PGRS.
Artigo 14 - A Secretaria Municipal de Serviços Públicos poderá, a seu critério e a qualquer momento, realizar vistorias e fiscalização, a fim de aferir a correspondência das informações constantes do PGRS com a situação atual do estabelecimento; constatada irregularidade, será o estabelecimento autuado, consoante artigo 29 e seguintes da Lei Municipal 8.232/2011.
Artigo 15 – Nos processos de licenciamento ambiental por parte dos órgãos federais e estaduais competentes, será assegurada a oitiva da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, nos termos do art. 24 da Lei Federal n.° 12.305/2011.
Artigo 16 - Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
                        Campos dos Goytacazes, 21 de setembro de 2011.

ZACARIAS ALBUQUERQUE OLIVEIRA
Secretário Municipal de Serviços Públicos

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Logística Reversa de Embalagem de Óleo Combustível em Campos dos Goytacazes

Fruto da articulação da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes, através da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, o município de Campos, que é o segundo em número de postos de combustíveis, só perdendo para a capital, terá a partir do dia 1º de dezembro a implementação da logística reversa de embalagem de óleo combustível. Os usuários avulsos de óleo combustível deverão fazer a entrega das embalagens nos postos de combustível.
Um litro de óleo combustível lançado no ambiente, especialmente nas águas, tem potencial para poluir vinte mil litros de água.


Praça de Campo Limpo ganha um novo visual após reforma

Eduardo Ribeiro


A Praça Nossa Senhora do Rosário ganhou um novo visual com as melhorias que recebeu Foto: Roberto Joia

Os moradores de Campo Limpo, na Baixada Campista, já podem comemorar a completa reformulação pela qual passou a praça do distrito, ponto de encontro dos moradores e local de realização dos principais eventos realizados naquela localidade. A Praça Nossa Senhora do Rosário ganhou um novo visual com as melhorias que recebeu, faltando apenas a pintura do piso da quadra e a urbanização para que possa ser entregue aos moradores oficialmente.
Após a conclusão da reforma, a quadra poliesportiva vai possibilitar a prática de esportes como o basquetebol, futsal, vôleibol, entre outros esportes, independente das condições climáticas, além da realização de festas e encontros sociais. 
Em Campo Limpo a Prefeitura investiu R$ 341.502,39 para garantir as melhorias necessárias. Uma quadra polivalente coberta foi construída, além de áreas de recreação, com pergolado, mesas de jogos, bicicletário, playground e bancos, o que vai garantir maior comodidade para os frequentadores do local.
A praça, que fica em frente à igreja e o cemitério local, às margens da Rodovia Campos-Farol (RJ 216), recebe uma frequência diária, que justificou o investimento feito, além da frequência diária dos moradores. Em função disso, símbolos tradicionais foram reformados, como o coreto e o cruzeiro da praça. Toda a praça ganhou ainda acessibilidade, facilitando o deslocamento de deficientes físicos e visuais.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Prefeitura mantém limpeza diária na praia do Farol


Eduardo Ribeiro

A venida principal do Farol de São Tomé está recebendo os cuidados para receber a alta temporada Foto: Roberto Joia

A praia do Farol de São Thomé, que tradicionalmente recebe um grande número de veranistas e visitantes na temporada de verão, começa a se preparar para a alta temporada deste ano, onde deverá repetir o sucesso do anos anteriores. Para isso a Prefeitura de Campos vem trabalhando no sentido de garantir a comodidade em todos os setores.
A avenida principal, que no ano passado recebeu melhorias na pavimentação em toda a extensão da orla, recebe diariamente o trabalho das equipes de limpeza e retirada de entulhos. Equipes percorrem toda a praia durante a temporada e com a chegada do período de verão, os trabalhos deverão ser intensificados.
Na área da saúde, a Prefeitura de Campos realizou recentemente uma completa reforma na Unidade Básica de Saúde, no centro da praia, que foi ampliada em seu espaço físico e nos serviços prestados para os moradores da praia.
Além disso, uma nova UBS está em fase de conclusão, substituindo o antigo container, que funcionava provisoriamente no Lagamar. A atual administração municipal investiu na construção da nova unidade, que deverá estar pronta até o final deste ano, para que possa ser utilizada durante o período de verão.
No Farol de São Thomé, a Prefeitura de Campos vem investindo nos últimos anos com a conservação das ruas da Vila dos Pescadores, reforma da Praça Principal e da Rodoviária, além da construção da nova academia e reforma das unidades escolares.

*Fonte: Site da PMCG

PROGRAMAÇÃO SEMANAL DA MANUTENÇÃO DE PRAÇAS E JARDINS

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Coleta seletiva no Jardim São Benedito

 
No Jardim Nilo Peçanha funciona posto de entrega voluntário (pev) de lixo reciclável. Está "bombando", conforme visto in loco pelo  Secretário.

Uma cidade mais florida e alegre com projeto de paisagismo

 Regina de Oliveira

O advogado Ernesto Vicente de Oliveira Filho, 69 anos, está satisfeito com o projeto Foto: Check

Quem chega a Campos já percebe que a cidade está diferente. Flores, arbustos e palmeiras dão um colorido diferente a diversos pontos do município, desde que foi iniciado o Projeto de Paisagismo, através da secretaria municipal de Serviços Públicos. Jardins e canteiros deixam mais bonitos praças, avenidas e o antigo Trevo do Índio, na Estrada do Contorno.
Morador do Parque Leopoldina, o advogado Ernesto Vicente de Oliveira Filho, 69 anos, está satisfeito com o projeto. Afinal, bem perto da casa dele, a Praça Ribeiro do Rosário foi revitalizada e oferece agora lazer e segurança. Agora, na opinião de Ernesto, falta apenas uma academia ao ar livre.
- Antes, o local era ocupado por pessoas que cometiam roubos e usavam drogas. Minha família evitava até passar aqui, por medo. Mas agora tudo mudou. Temos um comércio funcionando, um ambiente mais bonito e agradável e aquelas pessoas que ameaçavam nossa segurança já não estão mais - explicou o advogado.
    
*Fonte: Site da PMCG


PROGRAMAÇÃO SEMANAL DA LIMPEZA PÚBLICA

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Lâmpadas Fluorescentes


Sr. (a) Munícipe,

A Prefeitura de Campos tem o dever de coletar o seu lixo doméstico. No entanto, nem todo o lixo da nossa casa ou empresa é resíduo domiciliar. Pilhas, baterias de equipamentos eletrônicos, inclusive bateria de telefone celular e o próprio telefone celular, pneus e também, lâmpadas fluorescentes são classificados como lixo especial.
            No caso das lâmpadas fluorescentes, você munícipe, que tem a preocupação com o meio ambiente e a responsabilidade na gestão deste tipo de resíduo, deve adotar as seguintes atitudes, de acordo com a Lei Estadual 5.131/2007, Decreto Regulamentar 41.752/2009 e Lei Federal 12.305/2010:

1 - Deverá se dirigir com sua lâmpada inservível e entregar na loja onde foi adquirida;

2 - Nas lojas que comercializam lâmpadas fluorescentes, em geral, a mesmas, por força de lei deverão ter caixas para armazená-las. Caso haja dificuldade ou recusa da loja em receber as lâmpadas, manter contato com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que é o órgão responsável pela fiscalização ou com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos, através do Disque Limpeza (22-2726 4809).

A Secretaria Municipal de Serviços Públicos informa também, que com base na lei, lâmpadas fluorescentes que forem disponibilizadas para coleta terão sua coleta recusada e posterior adoção de medidas por parte do órgão público.

Logística Reversa de telefones celulares e suas baterias


No Brasil são 224 milhões de usuários de telefones celulares, colocando o país entre os campeões de uso da telefonia celular. No Estado do Rio de Janeiro, Campos, proporcionalmente, tem o maior número de usuários. Conforme pesquisa da ANATEL são 130 usuários para acada grupo de 100, o que significa que milhares de campistas usam dua linhas.

O aparelho que é um bem quando perde a utilidade deixa de ser bem e se transforma em resíduo (lixo). O que fazer com esse tipo de lixo que quando jogado no ambiente (rios, lixões etc) é extremamente nocivo, pois possui componentes químicos altamente poluentes?

FAÇA A COISA CERTA! ENTREGUE SEU CELULAR OU BATERIA EM UM DOS ENDEREÇOS, SEGUINTES:
    • CONCELL - Rua Gesteira Passos, 34 - Centro - Telefone: 3211-4107/2735-1804
    • CELL CENTER - Av. Alberto Torres, 17 - Centro - Telefone: 2733-4107
    • VIVO - Av. Rui Barbosa, 1001 - Centro e Parque Centro Shopping
    • CLARO - Rua Sladanha Marinho, 416, loja 103 - Centro - Telefone: 3052-9836
    • OI - Rua Tenente Coronel Cardoso, 445, lojas 1 e 2 - Centro - Telefone: 2723-0000 (próximo ao prédio da antiga Telemar)
Faça a diferença para a limpeza e o ambiente da sua cidade!

Logística Reversa de Pilhas Alcalinas e Outras Inservíveis em Campos


Foi-se o tempo que  todo tipo de residuo que tinhamos em casa ou na empresa podia-se descartar tudo em um saco de lixo comum.Pela nova legislação ,alguns residuos obrigatoriamente devem retornar ao comerciante,fabricante e importador,e que denomina-se LOGÍSTICA REVERSA.E o caso das pilhas e baterias alcalinas.No exercicio da cidadania ,cada munÍcipe deve fazer a devolução na loja onde comprou .Em Campos ,a SSP identificou os seguintes estabelecimentos que após receber estes residuos,posteriormente destinam para as indústrias de ,que destinam para a cadeia da reciclagem em São Paulo.

  • Eletrônica Real - Rua Boa Morte esquina com Rua Gil de Góis - telefone (22) 27240260
  • Eletrônica São Salvador - Rua Dr. Gesteira Passos, nº 38, Centro - telefone (22) 27330576
  • Agência Correios Campos dos Goytacazes - Praça Santíssimo Salvador, nº 53 - Centro - telefone (22) 27331641
  • Banco Santander - todas as agências de Campos dos Goytacazes
  • Supermercardo Wal-Mart.Av. Nilo Peçanha,s/nº
  • Agência da AMPLA-Rua Gov. Teotônio ferreira de Araújo,Centro

Reciclagem de CPU(motor de computador) e impressora


As velhas atitudes em relação ao lixo, que provocam degradação do ambiente, compulsoriamente deverão ser mudadas. Foi-se o tempo que bastava depositar todo tipo de lixo em saco plástico, colocar no horário em frente da casa para coleta e a partir daí o problema seria da concessionária da coleta de lixo ou da prefeitura.

Com a Lei da Política nacional de Resíduos Sólidos a responsabilidade pela correta destinação dos diversos tipos de resíduos (lixo) é responsabilidade compartilhada entre as empresas, coletividade e poderes públicos. Os resíduos eletrônicos (TV, microondas, DVD, celular etc.) não podem ser destinados para a coleta de lixo, nem tão pouco descartados nas vias públicas ou áreas particulares, pois se constitui infração à legislação ambiental e de postura.

Em Campos, a Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes através da Secretaria Municipal de Serviços Públicos viabilizou parceria com empresa de reciclagem e a partir do dia 19/08/2011, estamos recebendo, na sede da mesma, TÃO SOMENTE CPU E IMPRESSORAS INSERVÍVEIS de pessoas físicas. Eventual descarte, em grande quantidade, de empresas deverá ser feito contato com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos.
Em relação à telefones e baterias de celulares, o usuário final deve entregá-lo nas lojas das concessionárias (VIVO, TIM, OI, CLARO, NEXTEL). Outros bens que compõem o chamado lixo eletrônico orientamos guardá-los em casa até definição que será dada pelo Ministério do Meio Ambiente até março de 2012.

*Mais informações sobre o mundo da limpeza e outros:

Blog: http://www.zacariasalbuquerque.blogspot.com/

Twitter: zacaalbuquerque@live.com

Em caso de Reclamações e sugestões, ligue para o Disque limpeza da Secretaria de Serviços Públicos - tel. 2726-4809.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

PROGRAMAÇÃO SEMANAL DA LIMPEZA PÚBLICA

Prefeitura buscará novas tecnologias para tratamento do lixo

Foto: Cristine Rochol/PMPA

Comitê Gestor aprovou criação da Central de Tratamento de Resíduos
Comitê Gestor aprovou criação da Central de Tratamento de Resíduos
Modernizar a destinação final do lixo em Porto Alegre é o novo projeto da prefeitura que resultará na produção de energias limpas a partir do tratamento de resíduos. Na tarde desta quinta-feira, 17, o Comitê Gestor das PPPs do município aprovou por unanimidade o projeto de criação da Central de Tratamento de Resíduos Sólidos de Porto Alegre. Em 15 dias, a prefeitura publicará a solicitação de manifestação de interesse público para as empresas apresentarem estudos de viabilidade da iniciativa a ser desenvolvida por meio de parceria público-privada (PPP).

Conforme o prefeito José Fortunati, a prefeitura está propondo um novo conceito para a destinação do lixo, apostando em tecnologias inovadoras e ambientalmente sustentáveis. "Há quatro meses estamos buscando informações junto a técnicos e especialistas nacionais e internacionais para criar em Porto Alegre um serviço qualificado, sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico", afirmou, reforçando que a iniciativa faz parte do conjunto de medidas de modernização da infraestrutura e dos serviços públicos da Capital, como Metrô, Cais Mauá, estacionamentos subterrâneos e coleta automatizada. 
Atualmente, as cerca de 1,5 mil toneladas de lixo orgânico e resíduos públicos coletados diariamente em Porto Alegre são levadas para a estação de transbordo na Lomba do Pinheiro, de onde percorrem 113 km até o aterro sanitário em Minas do Leão. Os 20 caminhões que fazem esse trabalho rodam por dia 17,6 mil km. Com a criação da Central, esses resíduos terão destinação final em Porto Alegre.
O coordenador do Gabinete de Assuntos Especiais (GAE), Edemar Tutukian, responsável pelo projeto em parceria com o DMLU, explica que a medida provoca uma quebra de paradigmas no tratamento de lixo no Brasil, trazendo para a Capital tecnologias consagradas na Europa e na Ásia. "Teremos uma solução ambientalmente correta para a destinação do lixo dentro da cidade e ainda será possível a geração de energias alternativas e limpas como biogás, eletricidade, vapor e combustível derivado de resíduos", destaca. 
Parceria público-privada - De acordo com Tutikian, dentro de 15 dias será publicada a solicitação de manifestação de interesse para empresas atuantes no setor apresentarem estudos de viabilidade econômico-financeira e ambiental. "A exemplo do procedimento adotado para os estacionamentos subterrâneos, a prefeitura buscará no mercado o conhecimento técnico para definir o melhor formato para a central, contando com a iniciativa privada para implantar mais essa inovação em Porto Alegre", disse.
Na reunião nesta tarde do Comitê das PPPs - integrado por órgãos municipais e representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Sociedade de Engenharia e da Federasul -, foram discutidos os aspectos gerais da proposta que nortearão a elaboração da manifestação de interesse. O vice-presidente da Federasul, Newton Motta, destacou o apoio da entidade à proposta da Central e ao formato de PPP. "A iniciativa privada está disposta a apoiar o poder público na construção de melhorias para a cidade. A criação de PPPs é o caminho para viabilizar muito investimentos importantes", avaliou.
Formato - Os detalhes técnicos do projeto, como investimento e tecnologia a ser empregada na destinação final, serão definidos a partir dos estudos apresentados na manifestação de interesse. A proposta inicial da prefeitura é estabelecer uma PPP para instalar duas centrais, nas Zonas Norte e Sul, reduzindo substancialmente o trânsito de caminhões de transporte do lixo na cidade. 
Nos últimos meses, a equipe do município ouviu representantes de 15 grupos empresariais que desejaram apresentar as suas tecnologias - do Brasil, Espanha, Inglaterra e Canadá. No Brasil, esse formato ainda não é realidade, embora algumas cidades de grande porte estejam trabalhando para estabelecer centrais.

Coleta seletiva - A coleta seletiva, que atende todos os bairros do município duas vezes por semana e encaminha o material para as unidades de triagem (UT), não sofrerá modificações. O objetivo é, inclusive, que a nova proposta de central qualifique esse trabalho, pois também será feita uma triagem para separar o que possa ser reutilizado e que tenha sido misturado equivocadamente ao lixo orgânico.
*Fonte: http://www2.portoalegre.rs.gov.br/cs/?p_noticia=147372

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Reciclagem de CPU(motor de computadore) e impressora


As velhas atitudes em relação ao lixo, que provocam degradação do ambiente, compulsoriamente deverão ser mudadas. Foi-se o tempo que bastava depositar todo tipo de lixo em saco plástico, colocar no horário em frente da casa para coleta e a partir daí o problema seria da concessionária da coleta de lixo ou da prefeitura.

Com a Lei da Política nacional de Resíduos Sólidos a responsabilidade pela correta destinação dos diversos tipos de resíduos (lixo) é responsabilidade compartilhada entre as empresas, coletividade e poderes públicos. Os resíduos eletrônicos (TV, microondas, DVD, celular etc.) não podem ser destinados para a coleta de lixo, nem tão pouco descartados nas vias públicas ou áreas particulares, pois se constitui infração à legislação ambiental e de postura.

Em Campos, a Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes através da Secretaria Municipal de Serviços Públicos viabilizou parceria com empresa de reciclagem e a partir do dia 19/08/2011, estamos recebendo, na sede da mesma, TÃO SOMENTE CPU E IMPRESSORAS INSERVÍVEIS de pessoas físicas. Eventual descarte, em grande quantidade, de empresas deverá ser feito contato com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos.
Em relação à telefones e baterias de celulares, o usuário final deve entregá-lo nas lojas das concessionárias (VIVO, TIM, OI, CLARO, NEXTEL). Outros bens que compõem o chamado lixo eletrônico orientamos guardá-los em casa até definição que será dada pelo Ministério do Meio Ambiente até março de 2012.

*Mais informações sobre o mundo da limpeza e outros:

Blog: http://www.zacariasalbuquerque.blogspot.com/

Twitter: zacaalbuquerque@live.com

Em caso de Reclamações e sugestões, ligue para o Disque limpeza da Secretaria de Serviços Públicos - tel. 2726-4809.

Logística Reversa de Pilhas Alcalinas e Outras Inservíveis em Campos.


Foi-se o tempo que  todo tipo de residuo que tinhamos em casa ou na empresa podia-se descartar tudo em um saco de lixo comum.Pela nova legislação ,alguns residuos obrigatoriamente devem retornar ao comerciante,fabricante e importador,e que denomina-se LOGÍSTICA REVERSA.E o caso das pilhas e baterias alcalinas.No exercicio da cidadania ,cada munÍcipe deve fazer a devolução na loja onde comprou .Em Campos ,a SSP identificou os seguintes estabelecimentos que após receber estes residuos,posteriormente destinam para as indústrias de ,que destinam para a cadeia da reciclagem em São Paulo.
  • Eletrônica Real - Rua Boa Morte esquina com Rua Gil de Góis - telefone (22) 27240260
  • Eletrônica São Salvador - Rua Dr. Gesteira Passos, nº 38, Centro - telefone (22) 27330576
  • Agência Correios Campos dos Goytacazes - Praça Santíssimo Salvador, nº 53 - Centro - telefone (22) 27331641
  • Banco Santander - todas as agências de Campos dos Goytacazes
  • Supermercardo Wal-Mart.Av. Nilo Peçanha,s/nº
  • Agência da AMPLA-Rua Gov. Teotônio ferreira de Araújo,Centro

Logística Reversa de telefones celulares e suas baterias


No Brasil são 224 milhões de usuários de telefones celulares, colocando o país entre os campeões de uso da telefonia celular. No Estado do Rio de Janeiro, Campos, proporcionalmente, tem o maior número de usuários. Conforme pesquisa da ANATEL são 130 usuários para acada grupo de 100, o que significa que milhares de campistas usam dua linhas.
O aparelho que é um bem quando perde a utilidade deixa de ser bem e se transforma em resíduo (lixo). O que fazer com esse tipo de lixo que quando jogado no ambiente (rios, lixões etc) é extremamente nocivo, pois possui componentes químicos altamente poluentes?

FAÇA A COISA CERTA! ENTREGUE SEU CELULAR OU BATERIA EM UM DOS ENDEREÇOS, SEGUINTES:
    • CONCELL - Rua Gesteira Passos, 34 - Centro - Telefone: 3211-4107/2735-1804
    • CELL CENTER - Av. Alberto Torres, 17 - Centro - Telefone: 2733-4107
    • VIVO - Av. Rui Barbosa, 1001 - Centro e Parque Centro Shopping
    • CLARO - Rua Sladanha Marinho, 416, loja 103 - Centro - Telefone: 3052-9836
    • OI - Rua Tenente Coronel Cardoso, 445, lojas 1 e 2 - Centro - Telefone: 2723-0000 (próximo ao prédio da antiga Telemar)
Faça a diferença para a limpeza e o ambiente da sua cidade!

Lâmpadas Fluorescentes

Sr. (a) Munícipe,

A Prefeitura de Campos tem o dever de coletar o seu lixo doméstico. No entanto, nem todo o lixo da nossa casa ou empresa é resíduo domiciliar. Pilhas, baterias de equipamentos eletrônicos, inclusive bateria de telefone celular e o próprio telefone celular, pneus e também, lâmpadas fluorescentes são classificados como lixo especial.
            No caso das lâmpadas fluorescentes, você munícipe, que tem a preocupação com o meio ambiente e a responsabilidade na gestão deste tipo de resíduo, deve adotar as seguintes atitudes, de acordo com a Lei Estadual 5.131/2007, Decreto Regulamentar 41.752/2009 e Lei Federal 12.305/2010:

1 - Deverá se dirigir com sua lâmpada inservível e entregar na loja onde foi adquirida;

2 - Nas lojas que comercializam lâmpadas fluorescentes, em geral, a mesmas, por força de lei deverão ter caixas para armazená-las. Caso haja dificuldade ou recusa da loja em receber as lâmpadas, manter contato com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que é o órgão responsável pela fiscalização ou com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos, através do Disque Limpeza (22-2726 4809).

A Secretaria Municipal de Serviços Públicos informa também, que com base na lei, lâmpadas fluorescentes que forem disponibilizadas para coleta terão sua coleta recusada e posterior adoção de medidas por parte do órgão público.

Projeto paisagístico embeleza vários pontos da cidade

Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes

Mutirão de Limpeza em diversos pontos da cidade

Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

FRASE

Do diretor da Agência de Resíduos da Catalunha-Espanha,Josep Maria Tost:
Reciclar é uma das obrigações dos cidadãos do Século 21. Na Espanha, nossa motivação vem principalmente da geração de empregos e economia de matérias-primas”.

Brasil não permitirá importação de lixo hospitalar, diz ministro

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou nesta sexta-feira, no Rio, que a vigilância em portos do país foi reforçada após a descoberta, no porto de Suape, em Pernambuco, de dois contêineres vindos dos Estados Unidos que continham lixo hospitalar, como lençóis manchados de sangue e seringas.
"Nós não vamos permitir que qualquer país venha a mandar lixo hospitalar para o nosso Brasil", disse o ministro. "A Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] está cumprindo seu papel, que é detectar o problema, orientar as vigilâncias estaduais e reforçar a vigilância em portos e lugares de passagem desses lençóis".
A carga de 46 toneladas foi apreendida pela Receita Federal na semana passada. A Folha encontrou lençóis semelhantes aos importados irregularmente em uma loja de Santa Cruz do Capibaribe, a 205 km de Recife. Eles tinham o nome de hospitais americanos e eram vendidos por quilo.
Padilha afirmou que a Polícia Federal está investigando o caso e que o governo americano foi comunicado sobre o assunto pelo Itamaraty.
"Os responsáveis que possam ter comprado esses lençóis para reciclar, para fazer tecido, como foi feito, serão severamente punidos, porque isso é uma prática ilegal", disse.

*Fonte: FOLHA.COM

Serviços Públicos faz campanha para utilização do novo Disque Entulho

Campanha será feita sempre às quintas-feiras

Campanha será feita sempre às quintas-feiras


A Secretaria de Serviços Públicos iniciou nesta quinta-feira (03/11) a Campanha Cidade Limpa. Através de panfletagens, o novo Disque Entulho, serviço de remoção de entulho e resíduos, foi apresentado aos moradores do Jardim Carioca. 
A campanha será feita às quintas-feiras, em todos os bairros de Campos, incluindo a Baixada Campista até o Farol de São Tomé. Os próximos bairros que receberão a equipe são: Jardim Carioca (10/11), Av. São Fidélis (17/11), Rua Miguel Herédia (24/11). Para solicitar o serviço do Disque Entulho, basta ligar para o telefone (22) 2726-4809.

REGRAS

Para que a coleta seja feita, deverá ser em pequena quantidade e os entulhos devem estar dispostos numa distância máxima de 15 metros para dentro do quintal e devidamente dispostos em sacos plásticos de até 20 mil litros, sendo coletado o máximo de 150 sacos, por residência. 

Em caso de telhas e tijolos, os mesmos devem ser devidamente agrupados e serão recolhidos o máximo de 150 unidades por residência. As galhadas deverão ser cortadas no comprimento de 1,5 metros, devidamente amarrados, sendo recolhidos 12 fardos por casa.Serão removidos seis bens inservíveis por residência, exceto para os bens de grande peso ou volume, como geladeira, sofá, freezer, cofre e armário.Novas coletas deverão ser obedecer o prazo de 15 dias após a primeira. Caso o cidadão não queira aguardar este prazo ou ainda, se o material a ser removido estiver fora das condições estabelecidas, o serviço deverá ser contratado junto a um carroceiro, que deverá transportar a carga excedente para um dos entulhódromos do município. 
Em caso de contratação de caminhoneiro autônomo ou empresas privadas, o mesmo deverá transportar a carga de resíduos para o aterro de inertes, localizado na Avenida Santo Amaro, no Distrito Industrial da Codin, em Guarus.
*Sec. de Comunicação .

DILMA: A GERENTE DISTRAÍDA"!

DILMA: A GERENTE DISTRAÍDA"!
   
(Clovis Rossi - El País, 28) 
No governo Lula, Dilma era uma espécie de primeiro-ministro, como chefe da Casa Civil, supervisora geral do governo. Ora, todos os escândalos que acabaram resultando na demissão de ministros referem-se a fatos ocorridos no governo do qual Dilma era a supervisora. Portanto, trata-se de uma gerente sumamente distraída, que não só não se deu conta do que ocorria às suas costas (ou à sua frente) como aceitou designar para o ministério pessoas que, se tivesse sido devidamente supervisionadas, jamais ocupariam outra vez cargos públicos. Pior: os demitidos foram substituídos por representantes das mesmas famílias políticas (ou "famiglias", ao gosto do leitor), que se tornaram donas de fatias do governo. É uma disfunção já clássica na política brasileira: o presidente nomeia um político para chefiar um ministério e este preenche todos os cargos de confiança, abaixo dele, com seus correligionários. Cada ministério acaba virando uma "caixa preta" - o que é um convite a negócios, legais ou irregulares, com seus amigos e partidários. Posto de outra forma, o ministério trabalha para o partido, não para o público.
  *Blog do Cesar maia                                                  * * *

Rio fará contagem regressiva dos lixões do estado

Começa a funcionar nesta segunda-feira (24), no Rio de Janeiro, o Contador Regressivo de Lixões, uma iniciativa que objetiva viabilizar o registro detalhado dos lixões que estão sendo ou serão desativados no estado, dos aterros sanitários implantados e do cronograma de conclusão do programa Lixão Zero.
O Contador Regressivo dos Lixões do estado do Rio será apresentado pelo secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e pela presidenta do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos. Durante a apresentação, o secretário Carlos Minc detalhará o avanço do programa Lixão Zero nos municípios fluminenses e que já levou, somente este ano, à desativação de 16 lixões pelo governo estadual.
“Nos dados a serem apresentados, de forma transparente, constarão os lixões desativados de 2009 a 2010, o lixões já desativados em 2011 e os que serão interrompidos nos próximos anos”, informou a Secretaria do Ambiente, em nota. Ainda segundo a secretaria, o objetivo do detalhamento das ações de desativação dos lixões é fazer com que a sociedade acompanhe de perto o que vem sendo feito com o programa Lixão Zero, que visa a desativar todos os lixões do Rio. “Em cada caso citado, serão detalhadas a data da desativação, as toneladas de lixo retiradas e a destinação correta para aterros sanitários em diversos municípios”. 
(Fonte: Nielmar de Oliveira/ Agência Brasil)

SP contrata empresas para reciclar entulho

 Três empresas que farão o serviço foram escolhidas pela Prefeitura e devem começar os trabalhos em novembro ou dezembro Publicada no dia 20/10/2011 às 15h15 Outra novidade no sistema de limpeza de São Paulo já vai estar funcionando até o fim do ano. Pela primeira vez, a capital terá empresas contratadas especificamente para realizar a reciclagem do entulho e de outros resíduos sólidos recolhidos pelas ruas da capital. Anteontem, três empresas que farão o serviço foram escolhidas pela Prefeitura e devem começar os trabalhos em novembro ou dezembro. A expectativa é de que o volume de entulho retirado das ruas da cidade e de obras públicas seja dobrado após o início do contrato. A ideia é que pelo menos 10% de todo o material seja reciclado. O contrato dividiu a cidade em três regiões e empresas diferentes vão ser responsáveis por cada uma delas - o valor total do contrato será de R$ 137,6 milhões. Em cada um dos lotes, está prevista a construção de um aterro provisório na região, uma central de triagem para separar entulho reciclável do rejeito e uma usina de reciclagem que possa processar até 30 toneladas de resíduos por hora. Atualmente, quase todas as 78 mil toneladas de entulho recolhidas em caçambas e ecopontos são enterradas, apesar de o material ser considerado por especialistas um dos mais valiosos para reciclagem.
Com o novo contrato, o governo quer garantir a retirada de todo o entulho produzido por grandes obras públicas previstas para 2012, como a construção de túnel de 2,4 km até a Rodovia dos Imigrantes e de 150 escolas de ensino infantil. Essa reutilização já está sendo feita em obras de demolição feitas pela Prefeitura - o entulho dos Edifícios São Vito e Mercúrio, demolidos no meio do ano, por exemplo, virou asfalto. Além disso, a licitação atende à Política Nacional de Resíduos Sólidos, lei federal aprovada no ano passado.

Fonte: Estado de São Paulo

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Praça Nilo Peçanha também ganhará paisagismo

Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes

Mutirão de limpeza pública durante toda a semana

Emilly Maitan


O mutirão da limpeza, organizado pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos, estará presente em diversos bairros do município durante toda esta semana Foto: Roberto Joia
   
O mutirão da limpeza, organizado pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos, estará presente em diversos bairros do município durante toda esta semana. Além da coleta do lixo diária e em dias intercalados, de acordo com a necessidade de cada local, a secretaria prossegue executando tarefas como retirada de lixos e entulhos, capina, varrição, roçada de vegetação, remoção de terra e areia nas ruas, pintura de canteiros.
De segunda-feira (07) e domingo (13), a equipe responsável pela limpeza vai estar no Parque do Prado, Jardim das Acácias, Usina Santo Antônio, Jardim Tropical, Parque Varanda do Visconde, Parque Imperial, Residencial Santo Antônio, Loteamento Porto Seguro, Parque Bandeirante, Parque Novo Mundo, Parque Eldorado, Jardim Ceasa, Parque Bandeirantes e Vila Industrial.
O secretário de Serviços Públicos, Zacarias de Albuquerque, ressalta que o serviço de coleta é feito de forma regular pelos caminhões da empresa Vital Engenharia, concessionária dos serviços de limpeza pública e coleta do lixo, mas que a população também precisa fazer a sua parte e contribuir com o Meio Ambiente, já que a prefeitura vem executando com toda regularidade os serviços que dizem respeito à limpeza no município.

*Fonte: Site da PMCG

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

COMUNICADO

A Secretaria Municipal de Serviços Públicos informa que a concessionária contratada pelo município de Campos dos Goytacazes para a Gestão Integrada dos Serviços de Limpeza Pública, Vital Engenharia Ambiental, mudou de endereço e sua nova sede será na Av. Carlos Alberto Chebabe, nº 1249, Guarus.

PROGRAMAÇÃO SEMANAL DA LIMPEZA PÚBLICA

PROGRAMAÇÃO SEMANAL DA MANUTENÇÃO DE PRAÇAS E JARDINS

Prédios verdes são quase metade dos lançamentos comerciais em Rio, São Paulo e Curitiba até 2013

Publicada em 31/10/2011 às 08h32m

SÃO PAULO - Quase metade dos lançamentos de imóveis comerciais no Rio de Janeiro nos próximos dois anos será de edifícios verdes, revela estudo da consultoria imobiliária Cushman & Wakefield. Esses imóveis, que usam materiais reciclados, métodos de construção ambientalmente corretos e consomem menos energia e água, devem responder por 40,8% das novas salas comerciais cariocas a serem lançadas até 2013, contra 47,2% dos novos lançamentos no mesmo período em São Paulo, e 48,3% em Curitiba.
Essas três cidades são os mercados mais rentáveis para as construções ambientalmente corretas, de acordo com a pesquisa. Apenas no Rio, a estimativa da Cushman é de que sejam adicionados 379,6 mil metros quadrados com certificação verde até 2013, mais que o dobro dos 144,2 mil m² já existentes na cidade.
Em São Paulo, serão 773,5 mil m² a mais, contra os 446,3 mil m² atuais, e em Curitiba, mais 78,8 mil m², além dos 7,8 mil m² existentes hoje.
Os grandes eventos esportivos - Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016 - vão impulsionar ainda mais o avanço dos edifícios verdes no Rio. O Green Building Council (GBC) Brasil, órgão que certifica as construções dentro do selo verde Leed no Brasil, já firmou um protocolo de entendimentos com o Comitê Olímpico Brasileiro para que as obras que servirão aos Jogos Olímpicos sejam todas certificadas.
- Só no Porto Maravilha, serão mais de cem obras. Duas delas já deram entrada no processo de certificação - diz Marcos Casado, gerente técnico do GBC Brasil.
Além da Olimpíada, Casado diz que as obras da Copa do Mundo também devem buscar a certificação verde. Segundo ele, nove dos 12 estádios da Copa do Mundo já estão em processo de certificação. Só estão de fora o Itaquerão, em São Paulo, o Beira Rio, em Porto Alegre e a Arena da Baixada, em Curitiba. Somados aos projetos comerciais, essa demanda vai ajudar a praticamente dobrar o número de projetos em análise para certificação em todo o Brasil, para mais de 400 neste ano, ante 211 registrados no ano passado.
No Rio, a maior parte dos lançamentos deve ocorrer no Centro, área que passa por uma ampla revitalização.
Segundo João Pacheco, diretor de Engenharia e Sustentabilidade da Cushman & Wakefield, a região central concentra grandes projetos de reforma, conhecidos como retrofit, em que edifícios antigos são praticamente reconstruídos, já seguindo os padrões exigidos pelas certificações ambientais.
- O Rio é o campeão em transformações de edifícios velhos em edifícios verdes - afirma Pacheco.
O exemplo mais recente desse tipo de obra no Centro é o Edifício Marques dos Reis, localizado na Praça Pio X, que foi relançado pela Previ na última quarta-feira. Construído em 1940, o prédio, de 10 mil m², passou por uma reforma completa nos últimos dois anos para incluir sistemas de economia de energia, água e de redução de resíduos.
Na reforma, o edifício recebeu sistemas para a economia de energia, como elevadores inteligentes e sensores de presença para o controle de iluminação. Ganhou também um gramado no terraço para absorver melhor a água da chuva e ao mesmo tempo controlar a temperatura do prédio. Ao todo, foram investidos cerca R$ 32 milhões na obra.
- Decidimos buscar o selo verde no ano passado, quando a reforma já estava em andamento. Isso trouxe um custo adicional de cerca de R$ 2 milhões para o projeto - diz Marco Geovanne, diretor de participações da Previ, acrescentando que o preço do aluguel do metro quadrado no edifício, que não chegava a R$ 20 antes, agora deve superar os R$ 100.
Embora represente um custo adicional, o projeto verde também traz um retorno maior para os construtores. Parte da rentabilidade vem no longo prazo, com a economia de energia. De acordo com o GBC Brasil, a economia chega a 30% no caso da conta de luz, de 30% a 50% na conta de água e de 70% a 80% na coleta de resíduos. Isso reduz os preços dos condomínios e permite que os proprietários cobrem um aluguel mais alto.
Na Clavi, incorporadora que se especializou na construção de edifícios verdes, a estimativa é que o preço do metro quadrado verde tenha um retorno de 15% a 20% superior se comparado ao comum. Para Vitório Panicucci, proprietário da empresa, essa taxa mais que compensa o custo adicional dos projetos, que pode ser até 5% mais caros que os convencionais.
- Há uma grande procura por esse tipo de imóvel. No lançamento que tivemos neste ano em Alphaville, vendemos 50% do edifício em 40 dias - diz Panicucci.


© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Livro, indicado ao Prêmio Jabuti 2011, faz alerta sobre a geração de detritos superior ao que a Terra pode suportar




Não é de hoje que o lixo produzido pela raça humana é uma preocupação planetária. Do ponto de vista quantitativo, a natureza movimenta, em seu ciclo normal, 50 bilhões de toneladas de materiais por ano. Já os homens, 48 bilhões de toneladas no mesmo período, sendo que 30 bilhões são de resíduos. “Isso é muito mais do que o ambiente pode suportar”, sentencia o geógrafo e sociólogo Maurício Waldman, especialista no tema.

Seu livro, Lixo: Cenários e Desafios, indicado como um dos dez finalistas do Prêmio Jabuti 2011 na categoria Ciências Naturais, reflete exatamente sobre isso. Segundo Waldman, “O Estado não age e o cidadão não se movimenta. O resultado dessa combinação é dramático. A continuar assim, o lixo pode vir a inviabilizar a sociedade humana, pelo menos tal como a conhecemos”, adverte.
Waldman fala com conhecimento de causa. Ele fez uma pesquisa de pós-doutoramento, desenvolvida no Departamento de Geografia do Instituto de Geociências (IG) da Unicamp, sob a orientação do professor Antonio Carlos Vitte e com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq) sobre o assunto. Conforme o pesquisador, o lixo tem sido um problema recorrente em todo o mundo, inclusive no Brasil.

E aos que eventualmente possam considerar as suas previsões catastróficas, ele simplesmente rebate com números. De acordo com Waldman, o Brasil, um dos países que mais sofrem com a problemática, é um grande gerador de lixo. Embora sua população seja equivalente a 3,06% do total mundial e seu Produto Interno Bruto (PIB) corresponda a 3,5% da riqueza global, os brasileiros descartam 5,5% dos resíduos planetários. “Quer outros dados? Pois bem, entre 1991 e 2000 a população brasileira cresceu 15,6%. No mesmo período, o País ampliou seus descartes em 49%. Em 2009, o incremento demográfico foi da ordem de 1%. Entretanto, a geração de rejeitos aumentou 6%. Trata-se de uma expansão perversa”, afirma.

“Infelizmente, não temos políticas públicas para essa área. Os únicos que têm trabalhado verdadeiramente em favor da sociedade são os catadores de lixo, que em vez de serem parabenizados, são discriminados e maltratados tanto pelas elites quanto pelo poder público. Para se ter uma ideia, dos resíduos secos gerados no País, 13% são recuperados. Destes, 98% são coletados pelos catadores e apenas 2% pelos programas de Coleta Seletiva de Lixo [CSL]. Em 2010, pasme, dos 5.565 municípios brasileiros, somente 142, ou 2,5% do total, mantinham algum tipo de parceria com esses trabalhadores. Eles são os grandes heróis nacionais do Meio Ambiente”, considera o geógrafo e sociólogo, que foi colaborador do sindicalista e ativista ambiental Chico Mendes, assassinado em 22 de dezembro de 1988.

No entender de Waldman, o Brasil poderia ampliar significativamente o índice de reciclagem do lixo, tanto o seco quanto o orgânico. “Aliás, muita gente, até quem se diz especialista no assunto, costuma cometer um erro gravíssimo ao citar unicamente a reciclabilidade do lixo seco. O úmido também é reciclável, visto que pode ser recuperado pelo ciclo da natureza. Algumas estatísticas apontam que a taxa de reaproveitamento dos resíduos no País poderia ser ampliada para 52% ou 59%.

Além de menor agressão à natureza, isso representaria a geração de renda e trabalho. Um levantamento do Ipea [Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, órgão vinculado à Presidência da República] aponta que, na linha do tempo, nós já desperdiçamos US$ 8 bilhões por não reaproveitarmos o lixo. É um dinheiro que poderia ter sido aplicado na saúde, na educação e em programas de inclusão social”, imagina o especialista.
O livro Lixo - Cenários e Desafios, editado pela Cortez, já pode ser encontrado em livrarias. Tem preço sugerido de R$ 34,20.

Mitos e verdades da reciclagem – um guia para você tirar todas as suas dúvidas


Editora Globo
Separar o lixo reciclável em casa é algo muito mais simples do que parece. Porém, pouca gente sabe disso. O resultado? Falta de engajamento. Para mostrar que a tarefa é simples (e traz resultados expressivos), elaboramos um guia prático, com perguntas e respostas. Dois especialistas nos ajudaram nessa tarefa: Eduardo Antonio Licco, professor do curso de Administração em Gestão para a Sustentabilidade, do Centro Universitário Senac, e André Vilhena, diretor executivo da ONG Cempre (Compromisso Empresarial para a Reciclagem), que difunde informações sobre reciclagem.
Também vamos ajudar você a encontrar os locais próximos da sua casa que recebem o lixo reciclável. Sim, você não precisa enfrentar longas distâncias para ser ecologicamente correta. Agora não tem mais desculpa para não colaborar. Confira! 
1) QUAL É A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM? 

André Vilhena, do Cempre A reciclagem traz benefícios econômicos, sociais e ambientais. Quanto ao meio ambiente, a reciclagem diminui a pressão sobre os aterros, o que é importante, porque muitos já chegaram ao limite. Reciclar também significa reduzir a utilização de recursos naturais pela indústria, poupando o meio ambiente, além de diminuir o custo da matéria-prima e o gasto energético no processo fabril. Além disso, a reciclagem gera renda para os catadores de materiais recicláveis, que têm garantia de trabalho remunerado. 

2) É PRECISO SEPARAR, EM CASA, OS MATERIAIS DE ACORDO COM O TIPO DE CADA UM, OU SEJA, PLÁSTICO, PAPEL, ALUMÍNIO E VIDRO? 

André Vilhena, do Cempre - Não. Basta separar o que é seco do que é úmido, como restos de comida. A triagem é feita depois, pelas cooperativas de catadores. 

3) É PRECISO LAVAR TODAS AS EMBALAGENS ANTES DE ENCAMINHÁ-LAS PARA A RECICLAGEM? POSSO ENCAMINHAR UM GUARDANAPO SUJO, POR EXEMPLO? E UM COPINHO COM RESTOS DE CAFÉ? O PAPEL DE UMA BITUAC DE CIGARRO POR SER RECICLADO? 

André Vilhena, do Cempre - Você não deve lavar as embalagens, porque essa atitude gera um outro problema ambiental, que é o desperdício de água. Use a água da lavagem da louça apenas para enxaguar os recipientes, quando for o caso. 

Eduardo Antonio Licco, do Senac - Um guardanapo sujo tem destinação mais adequada sendo descartado no lixo comum. Copinhos de café são recicláveis, mesmo sem lavagem. Não há praticidade nem economicidade na reciclagem de papel em bitucas de cigarro. O que manda é o bom senso. 

4) O QUE PODE SER RECICLADO, AFINAL? 

André Vilhena, do Cempre - Tudo pode ser reciclado, inclusive isopor, lâmpadas fluorescentes e pilhas. O isopor deve ser separado em casa, assim como o plástico e o papel, por exemplo. Quanto às pilhas, uma opção é levá-las aos postos do Papa-Pilhas, que existem em vários pontos das cidades. Se a pilha for alcalina, ela não terá metais pesados em sua constituição e poderá ser descartada no lixo seco, em casa, junto aos outros materiais recicláveis. Quanto às lâmpadas, é preciso ter cuidado na hora do descarte. Elas não podem ser quebradas, porque têm mercúrio na composição, uma substância poluente. Empresas do Brasil todo reciclam esse tipo de lâmpada. 

Eduardo Antonio Licco, do Senac - Teoricamente, tudo pode ser reciclado. Quem vai decidir se haverá ou não reciclagem é o mercado. Se não houver compensação econômica, material ou energética, a reciclagem não se justifica. Por exemplo, se há maior consumo de água, energia e de insumos para reciclar do que para descartar, não haverá razão para o reaproveitamento. Vale lembrar que a reciclagem de alguns materiais não é aceita. Um exemplo típico são os resíduos hospitalares, como agulhas, seringas e drenos. 

5) Quais materiais acabam indo para o lixo comum porque não existe a noção de que eles podem ser reciclados? 

André Vilhena, do Cempre: a matéria orgânica, os restos de comida e podas de jardinagem. Tudo isso poderia ser reaproveitado por meio da compostagem, que é a transformação da matéria orgânica em adubo e fertilizantes. Isso não ocorre porque falta empenho das prefeituras para coletar, além do baixo investimento em usinas de compostagem. 
6) O QUE DEVO FAZER COM ELETRÔNICOS QUE NÃO USO MAIS, COMO UM CELULAR OU UM TOCADOR DE MP3? 

Eduardo Antonio Licco, do Senac - A Política Nacional de Resíduos Sólidos especifica que os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de produtos eletroeletrônicos são obrigados a implementar sistemas de logística reversa, ou seja, o retorno dos produtos às empresas após seu uso pelo consumidor. Por isso, procure o fabricante e veja qual é a orientação ao final da vida útil do aparelho. Também existem organizações que se dedicam a receber e a doar esses equipamentos quando eles estão em bom estado. Se eles não funcionarem mais, serão desmontados e reciclados. 

7) PARA ONDE DEVEMOS ENCAMINHAR O MATERIAL QUE FOR SEPARADO EM CASA? 

André Vilhena, do Cempre - Se sua cidade não tiver um programa de coleta seletiva estruturado pela prefeitura, você deve levar os materiais a um ponto de entrega voluntária ou encaminhar para uma cooperativa. No site do Cempre, há uma lista que pode ajudar você a encontrá-las. 

8) COMO ORGANIZAR UM PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM CONDOMÍNIOS OU NO TRABALHO? 

André Vilhena, do Cempre - É preciso mobilizar o maior número possível de moradores, demonstrando a importância da iniciativa e mostrando a eles como participar. Depois, é preciso definir os tipos de materiais recicláveis que serão coletados, tendo em vista a demanda de mercado existente nas proximidades, pois ela viabilizará um fluxo constante de saída de material, evitando o acúmulo. 

9) QUAIS MATERIAIS TÊM MAIS VALOR PARA OS CATADORES? 

Eduardo Antonio Licco, do Senac - Alumínio e cobre. 

André Vilhena, do Cempre - Além do alumínio, as garrafas PET, papelão e embalagens longa-vida. 

10) CONHEÇA A “Rota da Reciclagem”, UM MAPA QUE AJUDA A ENCONTRAR UM DESTINO PARA O LIXO DA SUA CASA 

O site Rota da Reciclagem foi criado pela Tetra Pak, com a tecnologia do Google Maps, para facilitar a busca por cooperativas, pontos de entrega voluntária e empresas ligadas à cadeia da reciclagem. Basta digitar o endereço para saber quais são os locais mais próximos da sua casa. De acordo com a Tetra Pak, o buscador conta com mais de 3.400 pontos de coleta seletiva e reciclagem em todo o país. 

*Fonte: Redação Marie Claire