Follow by Email

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Vazamento de água e transtorno em ruas

Carolina Barbosa
Foto: Tércio Teixeira 
Moradores do Parque Tamandaré, em Campos, reclamam dos transtornos de alagamento em ruas do bairro. Além disso, chama a atenção o suposto desperdício de água que é da drenagem do terreno onde estão sendo feitas as obras do empreendimento do Hotel e Residencial Transamérica, no final da avenida Pelinca, área nobre de Campos. Em nota, a Prefeitura de Campos informou que a empresa responsável pela obra foi notificada para se adequar e que “a empresa, de forma clandestina, aproveitou o final de semana para fazer a drenagem”.
A água que sai pela rua Almirante Greenhalgh causa também transtornos a outras ruas, como por exemplo, a Marcílio Dias, onde a situação é mais crítica. Em um trecho da Marcílio Dias, a água cobre a rua. O problema dificulta não só pedestres, mas também motoristas. A água chega ainda na rua Marquês de Herval.
O cabeleireiro Felipe Araújo, de 24 anos, contou que a situação estaria ocorrendo a cerca de 15 dias. “Está alagando a rua. Acabei de limpar a casa, pois de madrugada a água seca e a poeira sobe”, acrescentando ainda que a rua Marcílio Dias já está danificada. Outro problema que chama a atenção dos moradores é a grande quantidade de água descartada.
Por telefone, antes da nota enviada pela Prefeitura, o gerente de obras da RMZ Engenharia (empresa responsávelo pela construção do empreendimento), Jônio Carvalho, informou que a drenagem é para fazer as fundações. “A rede que tem é deficitária e não dá conta, tem problemas de assoreamento. Isso dificulta nosso trabalho. A gente tenta minimizar os impactos”, disse ao acrescentar ainda que não existiria uma autorização específica para drenar, mas que a empresa atende a postura do município.
Sobre o descarte da água, Jônio ressaltou: “Não tem como reaproveitar. Não é água pura, não é potável. A gente fez análise para usar em uma fase, mas não foi possível”.
Em nota, a concessionária Águas do Paraíba disse que “o caso é de drenagem, cuja responsabilidade não é da concessionária Águas do Paraíba. Sendo água de subsolo de obras é água de drenagem”.
Já a assessoria do Inea informou que “o licenciamento desse empreendimento é de competência da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Campos”.
Em resposta, a Prefeitura emitiu a seguinte nota: “A empresa já foi notificada pela secretaria de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, sendo orientada a entrar com toda documentação necessária para rebaixamento do lençol freático, informando a vazão, área de rebaixamento e números de pontos. A empresa, de forma clandestina, aproveitou o final de semana para fazer a drenagem. Ao tomar conhecimento, a secretaria enviou fiscalização ao local e cobrou providências, proibindo que continuassem a execução da obra. Após, o responsável compareceu nesta segunda-feira (06) à secretaria e tomou ciência de toda documentação necessária a regularização da obra, com risco de ser multado caso ocorra novo impacto à vizinhança e seu entorno”.
07/06/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo sua participação e opinião !