Follow by Email

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Com o atual ritmo frenético de consumo exibido pelas sociedades, a gestão de resíduos é um árduo desafio. O ideal é que os resíduos produzidos não sejam simplesmente depositados em aterros, mas sim, aproveitados para outros fins.  Na cidade de São Paulo, por exemplo, apenas cerca de 2% de todo o lixo é aproveitado para a reciclagem. Existe, no entanto, outra cidade onde o cenário é completamente o oposto. Em Borås, no Sul da Suécia, 99% dos resíduos são reaproveitados.
Mas as coisas nem sempre foram assim. O Viskan, principal rio de Borås, já foi um local tão poluído que o mau cheiro incomodava quem precisava de passar perto dele. Hoje, contudo, a revitalização do Viskan é a prova de que a aplicação de projetos de educação ambiental é eficaz.
Na Suécia, cada cidade é responsável por desenvolver o seu próprio sistema de gestão de resíduos sólidos. O processo de gestão de resíduos elaborado porBorås é hoje uma referência mundial. A empresa de resíduos distribui, sem custos para os moradores, um saquinho branco e um preto. No preto, os moradores colocam o lixo orgânico (restos de comida e de jardinagem). No saquinho branco são colocados materiais inflamáveis (papel, plástico…). Estes sacos são recolhidos e vão para uma central de triagem, onde uma máquina, capaz de identificar as cores escura e clara, separa os saquinhos de forma automática.

Dröm resíduos lixo boras suecia
Os sacos pretos são destinados a um biodigestor, gerando gás natural, enquanto os brancos servem para alimentar caldeiras termoelétricas, produzindo eletricidade. Há ainda um terceiro destino para a colocação dos resíduos em Borås: os vidros, metais, pilhas e baterias são colocados pelos habitantes em postos de recolha, largamente distribuídos, que depois são encaminhados para uma central de reciclagem.
A gestão de resíduos nesta  cidade funciona tão bem que o município já importa toneladas de lixo de outros países para fazer o seu aproveitamento. Todos o transportes públicos usam o biogás como combustível. Já as centrais termoelétricas, permitem que os moradores reduzam para menos de metade a sua conta da luz. E estes são apenas alguns exemplos dos benefícios.
Mas afinal, como é que Borås conseguiu atingir esta marca invejável de mandar para o aterro apenas 1% de todo o lixo? Nada disso seria possível sem a colaboração dos habitantes. Uma estruturação perfeita do sistema não seria suficiente, se as pessoas não fizessem a devida separação dos seus resíduos. O Governo Sueco fez um enorme investimento em campanhas de consciencialização, estimulando a participação de todos. A Câmara de Borås experimentou interromper os projetos educativos por seis meses para ver se o sistema de gestão de resíduos seria alterado. A diminuição da participação da população na separação do lixo sofreu uma redução tão grande que as campanhas voltaram a ser implementadas com toda a força.
Borås é a prova viva de que é possível reverter o cenário de produção excessiva de lixo, basta vontade e organização!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo sua participação e opinião !