Follow by Email

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Lóris: o único primata venenoso do mundo está ameaçado

Lóris: o único primata venenoso do mundo está ameaçado

Estudo publicado na revista científica Plos One associa a proliferação de vídeos na internet com o aumento da exposição dos pequenos primatas ao tráfico de animais Fábio Paschoal National Geographic Brasil - 26/08/2013


Michael Whitehead/ Creative Commons


Paul Williams/ Creative Commons

Texto publicado no blog Curiosidade Animal
Os lóris (Nycticebus sp.) são extremamente bem adaptados à vida noturna: possuem grandes olhos e andam lentamente pelos galhos das árvores para não atrair a atenção de presas e predadores. Encontrado somente na Ásia, é o único primata venenoso do mundo, capaz de matar um homem adulto com uma mordida. Mesmo assim é fácil encontrar no YouTube vídeos de pessoas que os mantêm em casa, e é impossível não simpatizar com os pequenos mamíferos. Mas esses vídeos podem estar prejudicando os animais.


Um estudo publicado na revista científica Plos One, liderado por Anna Nekaris, professora de antropologia e conservação de primatas na Universidade de Oxford Brookes e especialista em lóris, associa a proliferação de vídeos na internet com o aumento da exposição dos pequenos primatas ao tráfico de animais. Segundo o artigo, a natureza viral dos vídeos, que retratam os lóris como animais de estimação, pode reforçar a vontade das pessoas de adquirir um espécime (o que é ilegal).


Todas as espécies de lóris estão ameaçadas de extinção. O desmatamento e a medicina tradicional, que utiliza os animais para o tratamento de doenças nos países onde são encontrados, são grandes problemas. O tráfico de animais também faz a população dos primatas diminuir. Eles são retirados das florestas para serem vendidos como animais de estimação ou são levados para cidades asiáticas, onde turistas podem tirar fotos com eles.


Outra ameaça vem das mídias sociais, o foco do artigo de Nekaris. Tudo começou em 2009 quando um filme de um lóris em um flat na Rússia foi postado no YouTube. O animal aparece com as mãos levantadas e parece gostar de ser acariciado. O vídeo se tornou um viral e foi visto por mais de 10 milhões de pessoas no mundo. A partir de então, outros vídeos similares apareceram na internet e segundo Nekaris, durante uma palestra no TEDx Nashivile em abril de 2013 (veja toda a palestra no final do post), o lóris se tornou o animal mais procurado na Wikipedia, porque muita gente queria comprá-lo.


Um dos problemas para transformar os lóris em animais de estimação são as glândulas de veneno localizadas nos braços. Eles misturam a secreção com saliva e espalham por todo o corpo. Isso serve como um repelente de insetos e de grandes predadores (como ursos, por exemplo). Porém, o veneno provoca necrose quando entra em contato com o sangue, e uma mordida do primata pode causar um choque anafilático e até matar uma pessoa.




Paul Williams/ Creative Commons

Para evitar o envenenamento, os traficantes removem os dentes dos pequenos primatas. Esse procedimento é feito em condições de higiene precárias, pode gerar infecções e muitas vezes os animais não resistem. Para informar sobre essa e outras ameaças enfrentadas pela espécie, a Wikipedia desenvolveu a primeira página para a conservação dos lóris.


Mas para Nekaris, isso não era o suficiente. Em 2012 a pesquisadora produziu um documentário chamado Jungle Gremlins of Java (veja um trecho do documentário no final do post), em que mostra cenas de lóris em mercados ilegais na Indonésia, onde eles podem ser comprados por US$ 25. Se um lóris chega em lugares onde são populares como animais de estimação, como a Rússia ou o Japão, o preço pode chegar a US$ 2.500.


Com o passar do tempo, os problemas enfrentados pelos lóris começaram a ser revelados e mais e mais pessoas buscavam informações sobre a conservação dos animais. A pressão contra o vídeo do primata sendo acariciado na Rússia aumentou e ele foi retirado do ar.


Mas a luta de Nekaris não havia acabado. Existia um rumor de que o vídeo era benéfico para os primatas, pois fazia aumentar a conscientização sobre eles. A pesquisadora decidiu investigar os comentários que as pessoas fizeram ao longo dos 33 meses em que o vídeo permaneceu no ar. Ela descobriu que o comentário mais citado era "Eu quero um". Outros que apareciam bastante eram "Que lindo é esse bicho" ou "Que vídeo lindo". Alguns sugeriam que os lóris teriam uma vida melhor como animais de estimação porque eles conseguiriam comida facilmente e estariam protegidos contra predadores.


Para Nekaris as pessoas não conseguiam ver que o animal estava obeso, incomodado com a luz e em situação de estresse. "Na verdade o lóris estava em uma posição de defesa, ele queria morder e envenenar a pessoa [que o estava acariciando], mas as pessoas achavam que o animal parecia feliz" diz a pesquisadora em sua palestra no TEDx Nashville.


Os comentários começaram a mudar conforme as pessoas perceberam que os primatas estavam ameaçados de extinção, que eram venenosos e tinham seus dentes arrancados para serem vendidos como animais de estimação. Tais informações nunca foram passadas pelo vídeo analisado, e Nekaris concluiu que as imagens não beneficiavam os animais.


Ainda existem vídeos dos primatas como animais de estimação fazendo sucesso no Youtube. Mas, segundo Nekaris, os lóris não conseguem se reproduzir bem em cativeiro. Assim, é possível dizer com segurança que a maioria dos animais que aparecem nas imagens foram retirados da natureza e estão em situação ilegal.


Para a pesquisadora, o YouTube deveria informar os usuários sobre as espécies, além de dar a opção para marcar vídeos de abuso com animais como ilegais e, em último caso, tirá-los do ar. Nekaris termina o documentário dizendo "O que eu quero fazer é converter as milhares de pessoas que querem um como animal de estimação em milhões de pessoas que querem salvar o lóris. Porque eu tenho a certeza de que o lóris não vai entrar em extinção". Podemos começar a ajudá-la compartilhando vídeos que podem fazer a diferença no combate ao tráfico de animais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo sua participação e opinião !