Follow by Email

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

ROBÔ-ESPIÃO FLAGRA DESPEJO IRREGULAR DE ESGOTO DE PRÉDIO DE LUXO NO LEBLON


FONTE: Sandra Hoffmann DO SITE DO INEA
Blitz da Secretaria do Ambiente revelou que Condomínio Bellagio contribuía para poluir praia de um dos bairros mais caros do Rio
O luxuoso edifício Bellagio, no Leblon, na Zona Sul do Rio, foi notificado hoje (23/8) por despejo clandestino de esgoto in natura na rede de águas pluviais do bairro, um dos mais caros da cidade, e será multado em R$ 100 mil.
A ligação clandestina foi detectada pela ação de um robô-espião que filma galerias subterrâneas e faz parte do serviço de teleinspeção do Programa Sena Limpa, da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), que visa a despoluir seis das principais praias da cidade.
Com seis andares e uma cobertura, o prédio – situado no número 60 da Rua Rainha Guilhermina, esquina com Av. General San Martin – fica praticamente na quadra da praia, sendo um dos mais luxuosos do Leblon.
O despejo ilegal de esgoto – que acaba poluindo a Praia do Leblon, pois as galerias de águas pluviais da região deságuam no Canal da Av. Visconde de Albuquerque, que vai dar no mar – foi flagrado por agentes da Cedae e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), em blitz ecológica comandada pessoalmente pelo secretário do Ambiente, Carlos Minc.
Para evidenciar a irregularidade praticada pelo condomínio, técnicos do Inea despejaram um tipo de corante em sua rede de esgoto, o que ajudou no mapeamento do trajeto do esgoto até a galeria de água pluvial, comprovando o crime ambiental.
Por este mecanismo móvel de inspeção um pouco maior do que uma caixa de sapato – uma espécie de carrinho com uma câmera acoplada, que funciona como um verdadeiro robô-espião movido a distância –, é possível detectar e corrigir ligações irregulares de esgoto em galerias de águas pluviais. Poluir o meio ambiente com esgoto in natura é crime ambiental.
O robô-espião é inserido nas galerias de águas pluviais. À medida que percorre as galerias, filma o estado geral das tubulações, com as imagens sendo transmitidas, em tempo real, para um computador.
Ao acompanhar a inspeção, o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, disse que o condomínio será multado em R$ 100 mil pelo despejo irregular de esgoto em galeria de água pluvial e que o próximo alvo do robô-espião será o bairro de Ipanema:
“O robô-espião é um aliado do Programa Sena Limpa porque identifica as ligações clandestinas de prédios e hotéis que despejam esgoto em galerias de água pluvial, e que posteriormente acaba desaguando na praia. Nós canalizamos todo o esgoto da Cruzada de São Sebastião que caía na Praia de Ipanema e também o esgoto da comunidade Pavão-Pavãozinho. Vamos fazer obra para canalizar o esgoto de toda a encosta do Leblon e, em breve, o robô-espião estará inspecionando galerias de águas pluviais de Ipanema. Vamos dar uma dura em quem estiver despejando esgoto nas galerias de águas pluviais”, disse Minc, destacando que desde que a teleinspeção começou no Leblon, mais de dez ligações irregulares já foram identificadas.

O condomínio Bellagio será multado por infringir o artigo 93 (poluir corpos hídricos) da Lei 3469/2000, que dispõe sobre sanções administrativas derivadas de condutas lesivas ao meio ambiente do Estado do Rio de Janeiro. O edifício foi notificado pela Cedae e pelo Inea, que estabeleceu prazo de 30 dias para o condomínio corrigir o problema.
HOTEL MARINA PALACE
Há pouco mais de um mês, o robô-espião flagrou despejo irregular de esgoto em galeria de água pluvial do Hotel Marina Palace, no Leblon. Outros dois endereços neste bairro nobre da capital – um comercial e outro residencial – também foram flagrados no mesmo dia por despejo clandestino de esgoto.
Esse trabalho de fiscalização subterrânea, que começou em junho, é importante porque as galerias de águas pluviais do Leblon estão ligadas aos canais do Jardim de Alah e da Avenida Visconde de Albuquerque, que deságuam na praia. Assim, com o fechamento das ligações clandestinas, o esgoto que ainda é despejado nestes canais deixará de atingir – e poluir – as águas costeiras do Leblon.
AVANÇO DA TELEINSPEÇÃO
Até o momento, no Leblon, a teleinspeção foi realizada em galerias de águas pluviais das avenidas Delfim Moreira, San Martin e Ataulfo de Paiva e Rua Humberto de Campos. Atualmente, o robô-espião já se deslocou para o Alto Leblon, atrás de outras ligações clandestinas em imóveis residenciais e comerciais.
O serviço de teleinspeção faz parte do Programa Sena Limpa, lançado em 2012 pelo Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro. Com investimentos de R$ 150 milhões, a iniciativa visa a despoluir seis das principais praias do Rio até 2014.
O Sena Limpa é um trabalho conjunto da SEA, do Inea, da Cedae, da Rio Águas e da Comlurb. Em diferentes etapas, estão sendo executadas obras de recuperação ambiental das praias de São Conrado, Leblon, Ipanema, Leme e Urca, na Zona Sul, e da Bica, na Ilha do Governador, na Zona Norte da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo sua participação e opinião !