Follow by Email

sábado, 17 de agosto de 2013

Protetor solar protege e mantém pele jovem, diz estudo

ERA TUDO VERDADE: O PROTETOR RETARDA O ENVELHECIMENTO DA PELE

banho de sol (Foto: Getty Images)

Você sabe muito bem quais são os danos do sol na sua pele: queimaduras, câncer e fotoenvelhecimento. Mas, pela primeira vez, esses efeitos foram comprovados pela ciência. Um estudo australiano, publicado recentemente nos Annals of Internal Medicine, mostrou o real efeito dos raios solares na aparência da pele. A conclusão é que pessoas que usam regularmente protetor solar podem retardar ou mesmo impedir, por um tempo, o desenvolvimento de rugas e flacidez. Mesmo sendo tão óbvio e esperado, o resultado consegue chamar, ainda mais, a atenção para os cuidados necessários com o maior órgão do corpo, faça calor ou frio.


De acordo com a pesquisa, quem usou protetor solar todos os dias durante quatro anos e meio tinha visivelmente a pele muito melhor do que aqueles que simplesmente continuaram com seu uso ocasional. A boa notícia é que o fator de proteção solar utilizado pelos participantes, de pele clara e entre 25 a 55 anos, era 15. Ou seja, se o estudo, realizado em um país de condições climáticas semelhantes ao nosso, surtiu esse resultado, você não precisa usar o FPS 100.


Segundo Emiro Khury, farmacêutico e assessor técnico da Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC), pesquisas mostram que a quantidade aplicada é mais importante do que o valor do FPS informado no rótulo. “É o fator de maior impacto em termos de proteção. O estudo mostra que as pessoas aplicam na pele entre 0,39 mg a 1,03 mg por centímetro quadrado, quantidade muito inferior à recomendada de 2 mg”, explica. O jeito é exagerar, reaplicar a cada duas horas em caso de atrito ou contato com a água e não esquecer que o sol, mesmo no inverno, está ali: ele não sai de férias como você. 


Filtro físico x Filtro Químico 

Existem dois tipos de agentes que filtram a radiação ultravioleta: filtros físicos (inorgânicos) e filtros químicos (orgânicos). De acordo com Emiro Khury, os filtros físicos atuam na pele absorvendo, refletindo e espalhando a radiação. No passado eram utilizados em sua forma bruta e opaca – lembra do camarada com uma pasta branca no nariz? Com o desenvolvimento de tecnologias de micronização (diminuição do tamanho das partículas), passou a ser transparente. Os filtros químicos são aqueles que absorvem a energia luminosa e evitam que seja danosa para a pele humana.


Por dentro das Siglas  
É um tipo de textura tão leve e fluída quanto um soro. Ideal para quem tem muitos pelos. 

Protetor solar 300 (Foto: Lovato)

Efeito Mate
Elimina aquele aspecto oleoso da pele, deixando-a sequinha. Ótimo para peles que brilham demais. 

PPD
Mede a formação de uma cor escura temporária na pele exposta aos raios UVA, diferente do bronzeado causado pelos raios UVB. Ou seja, a sigla é utilizada para medir o nível de
proteção contra os raios UVA, que de acordo com Emiro Khury deve ser proporcional a, no mínimo, 1/3 da proteção UVB. Se um protetor solar tem FPS 30, o fator UVA é de pelo menos 10. Alguns fabricantes também indicam a proteção por meio de cruzes (++). 

FPS 
Refere-se aos ingredientes contidos nos protetores, seja para absorver ou refletir a radiação. Todo filtro solar tem um número que determina o seu FPS (Fator de Proteção Solar). Pode variar de 2 a 100. Quando se usa um filtro solar com FPS 15, por exemplo, a mesma pele leva 15 vezes mais tempo para ficar vermelha. 

UVA
A letra A refere-se a aging. São raios ultravioleta (emitidos na mesma proporção o dia todo) que bronzeiam superficialmente a pele, mas contribuem para o envelhecimento precoce induzido pela exposição solar prolongada. 

UVB
A letra B vem de burning. São raios (mais fortes das 10h às 16h) que podem causar queimaduras, vermelhidão e, claro, câncer. 


Novas regras nos rótulos
No Brasil, fabricantes de protetores tem até junho de 2014 para adequarem as embalagens com as novas exigências da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). São elas:



- O valor mínimo do FPS vai aumentar de 2 para 6.
- A proteção contra os raios UVA terá que ser de no mínimo 1/3 do valor do FPS declarado.
- Os testes que comprovam a eficácia dos protetores serão mais rigorosos.
- Os fabricantes poderão indicar em seus rótulos as expressões "Resistente à água", " Muito Resistente à água", "Resistente à Água/suor" ou "Resistente à Água/transpiração", desde que comprovem essa característica.
- A orientação sobre a necessidade de reaplicação será obrigatória para todos os produtos, mesmo aqueles mais resistentes à água.
- Fica vedada qualquer alegação de 100% de proteção contra as radiações solares ou a indicação de que o produto não precisa ser reaplicado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo sua participação e opinião !