Follow by Email

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

CAMPOS/RJ/ÁREA CENTRAL: O CORAÇÃO DA CIDADE PADECE!

ÁREA CENTRALDE CAMPOS/RJ: O CORAÇÃO DA CIDADE PADECE!
A área central, da jovem cidade de Campos dos Goytacazes - considerando a elevação de vila à categoria política-administrativa de município ocorrido em 1835-que é o coração da cidade, padece pelo abandono e descaso da Prefeitura.
O único próprio do município, datado do século XIX onde funcionou a sede do Executivo e Legislativo municipal e futura sede do futuro Museu Histórico de Campos-que teima em não chegar- encontra-se fechado há anos e a prometida obra de restauração, arrrasta-se a mais de cinco anos e sequer foi iniciada até o momento.Passear nas imediações do prédio é risco de vida.Bem recentemente parte da fachada ruiu ,desabando sobre a via pública.
O Mercado Municipal, obra de 1922, da gestão de Dr.Luís Sobral,pode ser considerada uma obra suntuosa à época.Hoje é um dos prédios integrantes da relação do patrimônio histórico e cultural do município,que deve ser preservado.No entanto, há mais de 15 anos sem reforma, encontra-se bastante mal conservado e feio.A Torre ameaça ruir,relógio não funciona e etc .Ainda assim, milhares de campistas ,freqüenta-o,fazendo suas compras, apesar de todo desconforto. Junto com a Feira e a Peixaria, instalada bem ao lado do Mercado e o Shopping Popular Michel Haddad, é um gigantesco complexo de comércio popular. Ainda não vi nada igual nas minhas “andanças” por diversos municípios brasileiros e lembra-me ainda o gigante Mercado de Istambul,na Turquia.
O Parque Alberto Sampaio, outra grande obra –já observaram a diversificada e rica arborização- encontra-se abandonado,mal conservado, sem vida,desfigurado,sofre também com o descaso da Prefeitura,há anos.Minha saudosa lembrança, leva-me ao antigo Jardim de Alá,onde soltei pipa,joguei futebol,os peixes no laguinho e etc.
O Parque Alzira Vargas,outra Praça das mais antigas da cidade,também padece com o abandono.Cada governo que entra anuncia um plano de revitalização e fica só na promessa. O entorno com os enormes casarões do início do século XX, merece apoiamento do poder público para a sua preservação.Já que se desapropria muito em Campos- muitas sem nenhuma função real- , poderia todo o conjunto ser desapropriado e implantar ali complexo administrativo do governo municipal.
A Praça da República,uma das maiores e mais antigas de Campos,finalmente está em reformas. A Praça Duque de Caxias,
O Canal Campos-Macaé- trecho central entre a Rua Formosa até Av. Nilo Pessanha-,continua fétido,sendo depósito de esgoto in natura, o que não cabe mais nenhuma justificativa a não ser a solução, que é plenamente possível com a implantação da ETE(Estação de tratamento de esgoto) da Chatuba, a maior de Campos. A urbanização do aludido trecho, está feia, sem manutenção,danificado,com o mato invadindo.Isto tudo no coração da cidade.Nem a condição de patrimônio histórico, socorre um dos maiores canais artificial do Brasil.
No entanto e felizmente, nem tudo padece de abandono nesta cidade. A Igreja Nossa Senhora do Carmo,recém reformada e não sei informar a fonte de recursos,está muito bela.A Igreja Nossa Senhora do Rosário,após anos de reforma com recursos da comunidade ,especialmente a Católica, está chegando ao final e já é uma paisagem bonita.Uma pequena reforma na Praça Tiradentes e execução de projeto de urbanização da área do entorno do Xá-Xá- antigo e pequeno terminal de ônibus localizado na confluência da Av. 7 de setembro e Rua Gov. Teotônio F. de Araújo-,seria uma intervenção de revitalização urbanística muito interessante. A Igreja de São Francisco, também conservada enriquece a paisagem urbana.
ZACARIAS ALBUQUERQUE,advogado nas áreas Civil e Trabalhista.E-mail:zacaalbuquerque@censanet.com.br